AMOR COM...E SEM PALAVRAS

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

FLORES



De pálpebras abertas para a luz vivem as flores,

fechadas na sua colorida redoma de silêncio.


Quando, ao anoitecer, madura, a espiga do sol se inclina,

também elas, entorpecidas, correm a cortina das suas pétalas

e adormecem ao relento a sua sonolência perfumada,

no leito de algas que a noite oceânica traz consigo.



Albano Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário