AMOR COM...E SEM PALAVRAS

quarta-feira, 2 de março de 2011

SOMA



 O que o teu amor me dá:

a pérola no centro,

a exacta e pequena pérola

por onde a luz se esvai,

num fechar de olhos,

entre nós.

E o riso tão inesperado

nesse campo de cansaço

em que o repouso

cresce, trazendo a razão

aos braços da loucura.

Os teus olhos onde

os meus mergulham, lago

manso da tarde que

empurramos, à janela,

até o dia inteiro

ser madrugada.

E ver-te acordar, como

o brilho que salta de antigas

colinas e se espalha

por frescos lençóis de

onde te roubo, abrindo

a manhã.


Nuno Júdice

Sem comentários:

Enviar um comentário